Não vou mais me desculpar

por Marina Cipolla

Estava no consultório da minha psicóloga pensando sobre como nós mulheres nos desculpamos o tempo todo. Nos desculpamos por banalidades do dia a dia, por ser quem somos, nos desculpamos por não conseguirmos cumprir a agenda que o patriarcado criou para nós.

– Desculpa, “tô” de TPM.
– Nossa! A gente não se vê a tanto tempo! Me desculpa?
– Desculpa a roupa, não tive muito tempo para me arrumar…
– Hoje não estou muito a fim de papo, me desculpa?
– Desculpa a comida simples, não tive tempo de fazer nada mais elaborado.
– A casa está suja! Me desculpa, não repara.
– Desculpa a minha ausência na festa, estava com cólica/filho doente/x motivos.

Esses são alguns poucos exemplos de quando nos desculpamos por nós mesmas, mas muitas vezes nos desculpamos também pelo outro e isso me faz pensar na culpa que sentimos por não darmos conta de todos os papéis impostos a nós. Eu não sou casada, não tenho filhos e imagino que se tivesse qualquer outro papel na sociedade a minha lista de desculpas aumentaria muito.

Quando eu pensei nas frases acima, não penso só em mim, penso em minha mãe, minhas tias, minha sogra, minhas amigas, minhas primas e muitas outras mulheres que convivo que dizem essas frases diariamente como se fosse obrigação/dever delas estarem sempre impecáveis, prontas e solícitas.

Mundo machista, um recado: Eu não te desculpo.

Por isso decidi que para externalizar muitas das minhas culpas eu não vou mais me desculpar ou pelo menos, vou tentar.

Se alguém reclamar da sua roupa finja que a pessoa é uma porta, se não tiver vontade de falar com alguém não fale, sua comida é sua e se alguém não gosta dela que aprenda a fazer a sua própria, se a casa está suja quem tem que se preocupar é você que mora nela e não as visitas, se elas reclamarem, entregue uma vassoura, se alguém pedir explicações por alguma ausência sua, simplesmente não responda, você não deve explicações pra ninguém.

São tantas cobranças, demandas e deveres que com toda a minha consciência talvez eu nunca consiga parar de me desculpar mas farei todos os dias um esforço enorme para que esses ecos horrorosos da “cultura da culpa” desapareçam de vez dos meus pensamentos. Eu não vou me desculpar por ser mulher, por ser quem eu decidi ser.

Felicidade significa nunca me desculpar por ser eu mesma!

Marina Cipolla: paulistana, 20 e poucos, Feminista, Comunicóloga,  Relações-Públicas,  chata de galochas, louca dos gatos, super radical ~segundo minha mãe~ mas sou puro amor, da cabeça aos pés.
Marina Cipolla: paulistana, 20 e poucos, Feminista, Comunicóloga, Relações-Públicas, chata de galochas, louca dos gatos, super radical ~segundo minha mãe~ mas sou puro amor, da cabeça aos pés.
Anúncios

4 comentários

  1. Sim, não precisamos de desculpas para viver e ser feliz – melhor mesmo é se aceitar e se fazer ser aceita. Difícil, mas é um passo de cada vez e seu caminho, acredito ser correto, pois és sim, amor puro.

    Curtir

  2. Sou homem e vivo dizendo:

    – Nossa! A gente não se vê a tanto tempo! Me desculpa?
    – Desculpa a roupa, não tive muito tempo para me arrumar…
    – Hoje não estou muito a fim de papo, me desculpa?
    – Desculpa a comida simples, não tive tempo de fazer nada mais elaborado.
    – A casa está suja! Me desculpa, não repara.
    – Desculpa a minha ausência na festa, /x motivos.

    Pelo jeito também sofro com essa sociedade opressora!

    Curtir

  3. Nessa vou concordar com o outro anônimo. Não precisa se desculpar por tudo. Mas p mim, uma pessoa que combinou de ir a um lugar e se ausentou e nem se desculpa e sem educação.

    Curtir

o que você acha?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s