DIU: um guia

por Helô D’Angelo

Pílula me dá candidíase, acne, mal humor e cólica. Não posso usar anel vaginal porque minha vagina é muito chata com coisas colocadas dentro dela por um tempão. Prefiro não tomar injeções todo mês. A camisinha já estourou uma vez e entrei em pânico. A única opção que sobrou foi ele: o DIU! 

16670919389_943469570c_o
O DIU é desse tamaninho mesmo ❤ (Foto: Sarah Mirk/ Flickr)

Eu tinha o maior preconceito com o DIU. Achava que era coisa de velha, que era fora de moda, que só tinha 60% de eficácia, que era antiquado, que só podia ser usado por mulheres que já tinham engravidado. Nada a ver: o DIU é o método contraceptivo reversível mais eficaz, chegando a 99,3% de proteção (mais do que a camisinha!). Ele pode ser usado por qualquer mulher, desde a adolescente até a mãe que não quer mais ter filhos, e é bastante econômico porque garante de 5 a 10 anos de proteção.

O que é o DIU?
DIU é a sigla para “dispositivo intrauterino”. Parece assustador, mas não é. Ele é um troço bem pequenino, do tamanho de uma moeda de um real, em formato de “T”, que fica alojado no útero e funciona como um método contraceptivo reversível (ou seja: é só tirar que você pode engravidar de novo).
Existem dois tipos de DIU: o DIU de cobre e o DIU Mirena (que também é conhecido como DIU hormonal ou SIU). O funcionamento é bem parecido, mas o que euzinha coloquei é o DIU Mirena, que é revestido do hormônio progesterona

Como funciona?
O DIU tem vários superpoderes: o cobre ou o hormônio alteram o muco do útero, o que faz com que os espermatozoides se movam de forma mais lenta. Eles também provocam uma irritação no endométrio (a base para o embrião) e das trompas e impedem a evolução do óvulo fecundado para embrião.
Então, basicamente, o DIU é demais porque existem três fases de contenção: primeiro, ele evita que o espermatozoide encontre o óvulo; se isso falhar, ele evita o processo de fecundação; e, se isso também falhar, ele consegue impedir que o ovo fecundado vire um embrião. UAU!

Onde o DIU fica? Tem perigo de encostar nele se eu transar com um cara?!
O DIU fica alojado no útero. Como ele tem formato de “T”, fica bem encaixado, sem perigo de sair. Uma cordinha bem fina fica para fora, para que o médico possa tirar depois. Não, não tem perigo do pinto chegar até lá, é fundo demais!

Quanto tempo o DIU pode ficar lá dentro?
O DIU Mirena pode ficar até cinco anos dentro de você, e o DIU de cobre, dez anos. Lembrando que eles podem ser retirados quando você quiser. Ah! E você ganha um número de série para fazer manutenção (fiquei me sentindo um robô).

Como é a manutenção?
Você vai precisar ir no ginecologista todo ano para ver se está tudo bem. Mas isso já deveria ser feito mesmo sem DIU, né? 😉
É bom ficar atenta também a irritações, desconfortos e DSTs que apareçam após a colocação, embora o primeiro ano seja um período de adaptação (vamos lembrar que, apesar de lindo e poderoso, o DIU é um corpo estranho de plástico ou metal).

FAQ da colocação do DIU
Como coloca?
O ginecologista implanta o dispositivo em você pela sua vagina. Então, para isso, ele vai precisar “abrir” o seu colo do útero. Você pode ver o processo nessa animação!

Em qual momento do meu ciclo menstrual eu posso colocar o DIU?
Em qualquer momento, mas você precisa ter certeza de que não está grávida. Por isso, a maioria dos médicos prefere implantar quando a paciente está nos primeiros sete dias da menstruação (eu coloquei no dia que começou). Se você toma pílula, coloque o DIU nos primeiros cinco dias depois de parar de tomá-la.

Dói?
Dói bastante, é como uma cólica bem forte e vários incômodos menores. Então a dica é: meia hora antes da colocação, tome um remedinho para cólica, como Feldene sublingual. Leve também um absorvente – você vai precisar.

Demora?
Não, leva uns 20 minutos no máximo.

DIU Mirena ou DIU de cobre?
O DIU Mirena reduz e às vezes até interrompe o fluxo menstrual (por causa da progesterona). Ele também controla cólicas que é uma beleza e, em comparação, é um pouco mais seguro do que o DIU de cobre porque tem a dupla proteção do hormônio. Ah! E a quantidade de hormônio que o Mirena tem é super baixa, então nem chega a sair do útero.
O DIU de cobre é melhor para quem quer evitar hormônios a todo custo. Ele também é mais barato que o Mirena e não interrompe o ciclo menstrual (podendo até aumentar o fluxo e o tempo de menstruação). Ele também pode ficar no corpo por mais tempo e pode ser usado como contraceptivo de emergência se for implantado até cinco dias depois da relação sexual, sendo até mais efetivo que a pílula do dia seguinte.

Quais os efeitos colaterais?
O DIU Mirena deixa o ciclo menstrual meio louco nos primeiros meses. Eu menstruei por umas duas semanas (em escapes), depois tudo ficou normal de novo. Apesar de ter pouco hormônio no Mirena, algumas mulheres dizem que os seios ficam doloridos e que a acne aumenta, junto com o mau humor (eu não senti nada disso, inclusive minha acne deu uma boa diminuída porque parei de me estressar com gravidez).
O DIU de cobre pode aumentar bastante as cólicas menstruais. Além disso, o fluxo e o tempo da menstruação ficam muito maiores em vários casos.

Quanto custa? Onde posso comprar?
O DIU pode ser comprado em qualquer farmácia, mas a maioria dos médicos disponibiliza o dispositivo no consultório, o que facilita bastante. O DIU de cobre custa entre R$ 50 e R$ 150; O DIU hormonal custa cerca de R$700. Os médicos também cobram a aplicação, que varia em cada consultório.
Parece caro de uma vez só, mas a média das pílulas anticoncepcionais é de R$50. Supondo que você tome direitinho e que fique tão despreocupada quanto eu fico usando DIU, em cinco anos, são R$3000 ou R$6000 em dez anos. E imagina o estresse que você vai evitar? Pra mim, vale a pena.

11150849_1072206146126981_1699865060688142378_n
Helô D’Angelo tem 21 anos na cara e nenhuma ideia do que quer fazer da vida quando terminar a faculdade de jornalismo.

 

 

 

 

 

 

Anúncios

7 comentários

    • Se foi seu ginecologista que disse isso então tá na hora de procurar outro hahaha essa ideia é bem antiga, médicos atualizados implantam sim em mulhetes que ainda não tiveram filhos. Inclusive coloquei o diu mirena há pouco mais de uma semana e foi minha própria ginecologista que recomendou 🙂

      Curtir

  1. Já eu, após o Mirena, não menstruei mais, só que 9 meses após a implantação, apresentei acne como não tinha desde a adolescência. 😦

    Curtir

  2. Oii, eu tenho o Diu e é ótimo mesmo, só quero acrescentar uma informação, ele pode ser colocado de graça tanto no Sus como em qualquer convênio pois é lei, a Ans regulamentou, ele está nos procedimentos obrigatórios Pará qualquer convênio, porém os médicos dizem que não cobre pois querem ganhar dinheiro né, então bata o pé é lei e é de graça tanto o Diu como o procedimento!!!

    Curtido por 1 pessoa

  3. Adorei!

    O assunto é abordado com simplicidade e um leve toque de humor, proporcionando a calma que a gente precisa na hora de pensar em trocar o método contraceptivo.

    Para mim não foi uma decisão difícil optar pelo DIU, afinal, meu celular tinha cinco despertadores: um de uma hora antes, meia hora antes, quinze minutos antes, um minuto e o horário exato para tomar o anticoncepcional. Já não aguentava mais. Além de que atrasar em cinco minutos já era motivo para eu passar o mês de cabeça quente com receio da danada não descer.

    Fui em três ginecologistas diferentes. Os dois primeiros disseram não ser seguro para uma jovem como eu, que nunca engravidou antes, colocar. Insatisfeita com a resposta – pois já havia pesquisado, e muito, a respeito e sabia que ainda que com 18 anos eu poderia sim colocar – fui atrás de outro profissional da área. Encontrei uma ginecologista ma-ra-vi-lho-sa aqui em São Paulo que me recomendou um colega de carreira, já que ela não fazia o procedimento. Ele então aceitou colocar o DIU pelo meu convênio.

    Foi super rápido: peguei o pedido com o médico, no mesmo dia liguei na central e solicitei o dispositivo. Exatos quinze dias depois o lindo já havia chegado no consultório e estava tudo pronto para a colocação.

    Infelizmente os horários do ginecologista nunca batiam com a data do meu período menstrual – sempre descia em uma quinta e o doutor não atendia às sextas. Como meu ciclo é curto, na segunda já não havia mais sinal da bendita. Fiquei dois meses na espera até que finalmente deu certo.

    Coloquei o DIU Mirena há dois dias e estou muito contente! O procedimento foi bem doloroso, no entanto rápido. Na hora de medir o útero eu murmurei mas na hora de colocar o DIU eu gritei! (Pasmem: tinha tomado anestésico antes). Passei a tarde enjoada e bem sonolenta, já pela noite estava melhor. Desde então, tenho sentido cólicas fracas que oscilam de momento a momento, mas já não há mais sangramento.

    Curtir

o que você acha?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s