Namoro uma pessoa que tem depressão

Meu namorado e eu estamos juntos há quase dois anos. Tem sido uma delícia: somos companheiros, curtimos o mesmo tipo de música, nos divertimos muito juntos e ele me respeita sempre. Mas existe uma questão importante no nosso relacionamento: ele tem depressão.

Ilustra: Helô D'Angelo
Ilustra: Helô D’Angelo

Veja bem: eu disse que a questão é importante, e não definidora. Porque nosso relacionamento não se define por isso; é só algo a mais, uma característica dele que me afeta enquanto namorada. Às vezes é mais fácil; outras vezes, parece impossível, mas sempre tem um jeito. Aos poucos, eu tenho aprendido a lidar com isso. E isso é o que eu aprendi até agora:

  1. O que é depressão?

    Depressão não é uma tristeza básica. Depressão é uma doença físico-emocional, causada por uma deficiência nos neurotransmissores e que pode ser desencadeada por vários motivos ou por motivo nenhum – vamos deixar isso bem claro.Existem várias formas de depressão, e os sintomas variam, mas geralmente a pessoa deprimida fica sem forças para viver, se isola e acaba deixando de cuidar de si mesma (física e emocionalmente). Quando entra em crise, meu namorado costuma me explicar que é como se ele não conseguisse sentir nada, nenhuma emoção, a não ser um tédio extremo e alguma ansiedade. Mas isso muda de pessoa para pessoa.

    A depressão não tem cura, mas os sintomas podem ser controlados com terapia, com remédios antidepressivos e com reguladores de humor prescritos por um psiquiatra. E ter pessoas queridas ao redor pode ajudar, ainda mais se essas pessoas entenderem que a depressão não é uma questão de má vontade, de preguiça ou de incapacidade.

     

  2. Não é culpa sua

    Repita comigo: a culpa não é minha. Não tenho responsabilidade. Nada do que eu fizer pode acabar com a depressão. Vamos combinar: este será seu mantra daqui para frente.

    Às vezes, a pessoa deprimida precisa de um tempo sozinha. Isso pode ser muito difícil. Meu namorado tem esses períodos e eu, que sou muito insegura, costumo ficar ansiosa e com medo que ele não queira mais ficar comigo – meu primeiro pensamento é “o problema sou eu”. Isso é só um exemplo, já que as pessoas encaram a depressão das mais diversas formas, uns mais agressivos, outros mais tristes, outros mais apáticos.

    Seja qual for o sintoma, acredite: o problema não é você. A culpa não é sua, a responsabilidade não é sua e nada do que você fizer pode acabar com a depressão do seu namorado. A depressão de seu parceiro é uma condição dele. Então, saiba que você não precisa se sentir culpada, como se você tivesse causado alguma crise: você não tem esse poder. É físico. 

    Agora, se o seu namorado deposita a responsabilidade e a culpa em você, talvez seja a hora de rever se este relacionamento realmente te faz bem ou se é um relacionamento abusivo. Meu namorado frequentemente deixa bem claro que eu não tenho culpa nenhuma, que ele me ama e que quer me ver feliz, mesmo quando ele está se sentindo mal.

  3. Diálogo é essencial

    Comunicação é a palavra-chave de qualquer relacionamento, e aqui a conversa se torna ainda mais importante. Não tenha medo de machucar os sentimentos do seu namorado: se vocês estão juntos, diga o que você está sentindo sempre que possível e evite guardar mágoas.

    Por exemplo: às vezes, meu namorado se fecha em si e eu tenho a impressão de que ele cansou de mim. Então, deixo bem claro que estou me sentindo insegura, e conversamos muito até eu conseguir ficar tranquila. Não é um processo fácil, mas ajuda muito.

    Mas fique atenta: o fato de o seu namorado ter depressão não significa que você precisa aguentar qualquer coisa. Depressão é uma doença, e é algo sério, mas não é desculpa para desrespeitar você. Se o seu parceiro sofre de depressão, ele precisa procurar um bom psicólogo para tratar do problema, e não descontar tudo em você. Lembre-se: você é a namorada dele, e não um saco de pancadas. Você merece ser respeitada e amada sempre.

  4. Namoro não é caridade

    Nós, mulheres, somos socialmente programadas para cuidar dos outros. Por isso, é muito comum que, ao namorar alguém com depressão, a gente tenha a ilusão de poder “curar” aquela pessoa. Mas isso é um engano muito cruel.

    Primeiro porque você não deveria namorar uma pessoa apenas para “salvá-la”. Isso é no mínimo uma razão bem esquisita para estar junto de alguém. Segundo porque “salvar” qualquer pessoa da depressão é impossível. A culpa não é sua, a responsabilidade não é sua e nada do que você fizer pode acabar com a depressão do seu namorado.

    Uma pergunta muito difícil que meu namorado me faz de vez em quando é se eu estou realmente bem com nosso relacionamento. Eu preciso parar e pensar toda vez, porque é mesmo difícil discernir o que é a necessidade de cuidar e o que é amor

    Namoro não é caridade. Se, ao pensar no seu namorado, te dá pena e tristeza, ao invés daquela sensação gostosinha de “quero estar com essa pessoa”, será que está mesmo tudo bem? Querer ajudar a pessoa amada faz parte de um relacionamento. Mas estar com ela só por isso não faz muito sentido.

  5. Então, como ajudar?

    – Seja compreensiva
    Sabe quando você fica gripada e não quer ver ninguém? Depressão é mais ou menos a mesma coisa, só que em proporções bem maiores e em termos psicológicos. Seu namorado está doente, e você precisa compreender que ele provavelmente não vai ter pique para te acompanhar na balada, para ficar te olhando apaixonadamente, para ir naquele jantar de família com você ou até (sim) para transar. Tente exercitar a empatia: quando você está com candidíase ou infecção urinária fica difícil de ter relações sexuais, não é? Então, respeite a depressão do seu namorado!

    – Estude sobre depressão
    Procure a tag #depressão no tumblr, leia artigos online, converse com pessoas que tenham depressão, consulte psicólogos, veja filmes sobre o assunto. Uma coisa que eu costumo repetir sempre para o meu namorado é que eu nunca vou entender o que ele passa, mas posso empatizar e apoiá-lo sempre. E, quanto mais você conseguir entender como a depressão se manifesta, menos difícil será lidar com ela.

    – Incentive o tratamento psicológico 
    Vamos lembrar que a depressão é uma doença, e não uma tristeza passageira. Portanto, ela só pode ser tratada por um médico especializado – que, no caso, é um psicólogo -, e seu namorado só vai conseguir melhorar se tiver a capacidade de encarar isso. Meu namorado é bem resolvido com o tratamento psicológico dele, e costuma dar um argumento muito bom para quem recusa a terapia: se você quebrasse uma perna, diria que não precisa de médico? Então, por que dizer que seu emocional não precisa de médico quando ele está visivelmente doente?

    Não fique em cima
    Seu namorado está deprimido, e não “tristinho”. Ele está doente. Então, imagine como é frustrante quando você o abraça e diz que “vai ficar tudo bem”? Abra espaço para ele, deixe ele ficar um tempo sozinho se precisar, ouça o que ele tem para dividir com você, mas não pressione. Em vez de dizer “o que você quer que eu faça?”, que tal perguntar “como você está se sentindo hoje?”. Às vezes, só ficar em casa com ele por um tempinho já faz alguma diferença (meu namorado, por exemplo, gosta de jogar videogame quando está deprimido, então eu costumo ir ler ou desenhar na casa dele, mas sem deixar de fazer minhas coisas para isso. Costuma ser uma troca bem gostosa de energias). Pequenas ações não-sufocantes são bacanas, porque mostram que você se importa o suficiente para dar atenção só por dar atenção – e não porque você precisa de atenção de volta. Tenha paciência: tratar uma depressão não é como tratar uma gripe.

  6. Cuide de você

    Até agora, só falamos do bem estar do seu namorado. Mas nessa história toda, você importa também. Uma coisa complicada de estar em um relacionamento com alguém que tenha depressão é que é muito fácil ceder e fazer sempre o que você julga melhor para a pessoa. Mas, de novo, a culpa não é sua, a responsabilidade não é sua e nada do que você fizer pode acabar com a depressão do seu namorado.

    Então, primeiro: procure uma terapia bacana. Eu faço terapia uma vez por semana e isso tem me ajudado em muitos aspectos, não só em relação ao meu namorado. Fui percebendo aos poucos que eu não preciso ficar fazendo as vontades das outras pessoas para que elas gostem de mim – o que era um problema quando comecei a namorar. A terapia também te ajuda a entender o que você realmente quer, e a discernir compaixão de amor, por exemplo. Aos poucos, você vai compreendendo se a relação te faz bem ou mal, e, caso te faça mal, vai ganhando forças para terminar.

    Segundo: separe o seu humor do dele. Se ele está numa crise de depressão, isso não significa que você precisa estar para baixo. Aliás, pense bem: se você ficar triste porque ele está deprimido, ele provavelmente vai se sentir culpado, o que só piora as coisas. Então, saia com seus amigos, trabalhe, continue seus hobbies, mantenha-se ativa: se o seu namorado te ama, vai ficar aliviado de te ver feliz. Meu namorado vive me incentivando a viajar, a conhecer pessoas novas, a sair sem ele, a ter minha vida. E isso é incrível, porque nenhum namoro deveria te podar.

    Terceiro: converse com seus amigos sobre isso. Traga-os para perto, saia com eles, desabafe. Pode ser muito difícil fazê-los entender o estado do seu namorado, mas tentar é sempre um bom exercício, porque você acaba não se isolando e, ao mesmo tempo, tirando um peso grande dos ombros. Você pode confiar nas suas amigas também e exercitar a sororidade.

    Quarto: não se sinta culpada ou egoísta se decidir terminar. Manter um relacionamento com uma pessoa em depressão demanda muita atenção, cuidado e zelo, mas pode ser que você esteja dando demais de si mesma sem nenhum retorno. Pode ser que você não aguente mais seu namorado sendo grosso com você. Pode ser que você não consiga suportar quando ele se afasta. E quer saber? Tudo bem! Você não é uma pessoa horrível ou egoísta por deixar seu namorado nesse estado. De novo, pela milésima vez: a culpa não é sua, a responsabilidade não é sua e nada do que você fizer pode acabar com a depressão dele.

Sabe o que é mais curioso? É que manter um relacionamento, mesmo que um dos parceiros não seja deprimido, demanda muitos dos pontos que eu citei: cuidado consigo, companheirismo, diálogo, apoio mútuo e manter uma vida própria. Namorar alguém com depressão, portanto, não é algo de outro mundo: só requer um pouquinho mais de maturidade e vontade – e o exato mesmo tanto de respeito mútuo de qualquer relacionamento.

* “Namorado” = “namorado ou namorada”

** A autora pediu anonimato para preservar a intimidade do namorado. E nem precisava justificar, né?

Anúncios

132 comentários

  1. Desde quando psicologo é medico. Medico que trata depressao e psiquiatra. O psicologo e um profissional responsavel pela terapia, apenas.
    Esse post esta bem equivocado em diversos aspectos.

    Curtir

      • C. Estou passando pelo mesmo com você no caso é minha namorada que está assim, se você está lendo essa msg ou outra pessoa que esteja lendo, por favor, entre em contato comigo no meu email: helderspk@gmail.com ou whats 067 999983376. Preciso conversar com alguém que esteja passando pelo mesmo que eu.

        Curtir

    • Não é bem assim! Psicólogo não é médico, certo. Mas não é APENAS um profissional RESPONSÁVEL pela terapia. É um profissional que SIM auxilia e atua no tratamento e minimização dos sintomas causados pela depressão, assim como de qualquer outra doença mental! Nas suas palavras: “O psicologo e um profissional responsavel pela terapia, apenas”. Não diminua minha profissão e o processo terapêutico. Muitíssimo obrigada!

      Curtir

  2. Incrível o texto! Me emocionei em sentir que alguém sente o mesmo que eu. Porém, no meu caso, o namorado depressivo preferiu terminar por não conseguir corresponder aos meus sentimentos. Eu estou muito mal pq sei que existe amor em nós, e além disso, queria ajudá-lo de alguma forma. Nós sempre fomos muito felizes juntos, sempre tivemos uma relação leve. Não sei como me aproximar de novo, mas ele é a pessoa mais especial que já conheci, e gostaria de tê-lo comigo. Alguém sabe como me ajudar? Obrigada

    Curtir

    • Isso aconteceu comigo a pouco tempo e pra falar a vdd no começo fiquei cm raiva mais faça o seguinte comece tentando ser amiga e com o tempo ele confiando em vc VC pode cvs sobre isso

      Curtir

    • C. ,

      estou passando o mesmo! Namoramos 3 meses, mas muitooo intensos, já sabia que ele fazia terapia.. mas nunca me passou na cabeça que poderia ser por causa de depressão, mas no decorrer do namoro via, ouvia algumas coisas que “estranhas”. Assim que chegamos de viagem em fim de janeiro.. ele me apresentou um comportamento estranho, fechado, já estava passando por algum problema.. e ficamos do dia 29 jan até dia 02 de março apenas falando por telefone.. a sogra, e ele sempre me pedindo paciência e manter a calma.. e concordei para q ele pudesse resolver este problema q ele estava passando, mesmo achando tudo muito estranho.. No dia 03 de março, encontramos.. e me disse q iria retomar/ recomeçar as coisas, mas o “problema” dele ainda não tinha sido resolvido. E falou de passarmos o fds juntos.. chegou o fds, ele me deu “bolo”… E mandei mensg. , apenas isso… nos afastamos e nos vimos só no fim de março, e ele foi ate a minha casa para conversarmos… ele estava transtornado… se sentindo incapaz, triste, olhos lacrimejando, etc.. no final da nossa conversa perguntei se era meu namorado, e ele como: “não ligo, nao faço isso e aquilo…” , disse que queria ir para o mato virar indio… q me “congelou no coração dele junto com a filha (que estava tendo problema)… no final disse 2 x (amor…) e na hora de ir embora…. nos abraços, os dois com vontade de chorar… e falei: é assim que vc se despede das pessoas que gosta, ele eu não despedi da minha filha assim?! E se eu poderia ligar para ele, aí ele falou q só se fosse para falarmos sobre a gente… e foi embora. (resumi a nossa conversa)

      Estou arrasada, depois dessa nossa conversa, tentei falar com ele… por telefone, mandei mensagens de textos falando sobre a gente… Pq só depois dessa nossa conversa, e ligando as coisas .. com o q a mãe dele me falava, pelo comportamento dele etc… que me dei conta que eram sintomas de DEPRESSÃO.

      Enfim, ele não quis a minha ajuda….. por último mandei mensagem dizendo q não desistira dele etc. Ele me disse que “não quer mais contato, para eu compreender, por favor”

      Depois dessa mensagem, ele me bloqueou no facebook e whatssapp. Estou muito triste…. não sei o que fazer!!! Pq nos viamos juntos por muito tempo… ele dizia que eu era o maior presente da vida dele, etc.

      O QUE EU FAÇO????? PLEASE!!!!

      Curtir

      • Estou passando pelo mesmo com você no caso é minha namorada que está assim, se você está lendo essa msg ou outra pessoa que esteja lendo, por favor, entre em contato comigo no meu email: helderspk@gmail.com ou whats 067 999983376. Preciso conversar com alguém que esteja passando pelo mesmo que eu.

        Curtir

      • Do caso acima??

        Estamos afastados, mas ele me bloqueou ontem… Estava agora mesmo conversando com uma pessoa que teve depressão, o filho, e a sogra que tmb tiveram..

        ela me disse que ele está sim com depressão, e para eu dar tempo para ele melhorar…. pq agora ele não consegue dar a atenção, levar um relacionamento.. ele não tem muito controle dos seus pensamentos e atitudes. E Que assim que ele voltar o “normal”… ele vem me procurar, ja que em nenhum momento ele me falou em terminar, e q não me amava, ou não gostava mais de mim. E sim, que “indiretamente” me pediu um tempo, para ele se resolver com ele mesmo.

        No momento o que me resta é manter a calma, e colar nas mãos de Deus.

        Curtir

    • C. Estou passando pelo mesmo com você no caso é minha namorada que está assim, se você está lendo essa msg ou outra pessoa que esteja lendo, por favor, entre em contato comigo no meu email: helderspk@gmail.com ou whats 067 999983376. Preciso conversar com alguém que esteja passando pelo mesmo que eu.

      Curtir

  3. Na verdade tem sido muito difícil lidar com essa situação, meu namorado é depressivo e eu estou apaixonada por ele e não o quero perder por causa da sua condição, mas só que há momentos que eu perco as forças de continuar lutando. Eu sei que ele gosta de mim tanto quanto eu, mas há momentos em que ele é totalmente diferente, as vezes fica agressivo. Estou a pensar em procurar o mesmo psicólogo que lhe tem feito acompanhamento, conversar com ele e tentar compreender mais sobre como lidar com tudo isso.
    Muito obrigada pela ajuda

    Curtir

  4. Realmente, também sofro do mesmo, amo meu namorado com todas as minhas forças. Infelizmente existem dias tão difíceis, que me machuco por conta da doença dele, me sinto sozinha e não sei como ajudar. No fim das contas o que me resta é dar a ele um tempo sozinho e continuar dando atenção e carinho mais tarde. Tem que se ter uma força imensa e um psicológico forte para lidar com isso.

    Curtir

  5. Ótimo texto!
    No meu caso não é um namoro, era um “lance” de faculdade, mas tomou uma proporção muito maior, falávamos um com o outro todos os dias, nos víamos sempre, ele sempre foi um amor, carinhoso, atencioso, me respeitava. Até que a partir do mês de agosto desse ano, ele simplesmente sumiu, parou de falar comigo, parou a faculdade,não saia mais com os amigos, no começo também achei que fosse comigo, que ele tinha enjoado de mim, mas daí ele me disse que era pessoal, que tava difícil lidar com a própria cabeça. Então eu decidi esperar que tudo isso passe, ou pelo menos amenize,agora já faz um mês que ele voltou a falar comigo, não como antes do isolamento, mas voltou. Eu tenho lido bastante sobre ansiedade e depressão,acredito no que sinto e não o sufoco com mensagens e etc. É difícil, pois não sei se puxo assunto ou não, se ele quer que eu desista ou insista. Mas pela minha parte, já esperei 6 meses, posso esperar 12, 18, quantos forem preciso. “Se for pra ser, será” e eu espero mto, que seja, do jeito q for, mas seja! 💗

    Curtir

  6. Olá,

    Tenho uma relação muito longa e duradoura. Já vivemos juntos e amadurecemos a relação em níveis que nunca consegui com outro cara. Aqui há uma coisa de dividir vida, se hoje moramos separados. ( Precisei trabalhar em outra cidade e ele regressou à casa dos pais – um dos motivo que o deprime-) já dividimos rotina e vida. Ultimamente, não tenho mais entendido como lidar com a tristeza e sentimento ” para baixo” do meu companheiro. Por vezes incentivo a procura por uma terapia, afinal já me ajudou muito. A resposta é sempre negativa, mesmo depois de muita discussão e algum avanço tem um “não”. Me desespero as vezes de ver essa ilustração acontecer, esse cair no buraco. Fico querendo puxar e depois de ler o texto não sei se é o mais correto de fazer.

    Primeiro é importante dizer que fico no escuro, por que é muito difícil de conversar. É difícil ele falar sobre o dolorido e tenho plena ciência que um profissional poderia ajudar, mas essa não é a realidade. Fico no escuro inclusive sobre se isso é mesmo uma depressão. Não seria improvável. O último ano foi massacrante para ambos. Perdas familiares do meu lado, dificuldade financeira do lado dele.

    O núcleo familiar dele também se apoia em mim como mediadora. Isso tem me esgotado, me deixa triste. Mas são tristes em momentos pontuais, diferente do quadro que ele me mostra. Uma tristeza maior e mais recorrente.

    Diante dos processos de negativa e estagnação dele, me sinto cada dia menos companheira. Por exaustão minha recusa tem crescido…e por isso me sinto culpada. Eu tento, pulo, grito, choro junto, fico quietinha, tento dar suporte, tento malabares, tento tudo… mas não consigo resolver. As vezes minha vontade é separar bem as duas coisas, deixar ele no processo dele e seguir… mas me sinto abandonando alguém precisando de atenção. E ele inclusive demanda essa atenção. Viver uma vida normal e não falar dos problemas me parece fantasia, se a gente encarasse esses problemas e partilhasse eles de outra forma… acho que seria diferente.

    Fico somatizando e por empatia comparo com os meus processos, precisei de alguém me dizendo que eu ia conseguir todo dia para enfrentar um problema que não achava que conseguia enfrentar ( essa pessoa foi minha mãe e não meu companheiro, minha tenda vermelha). As vezes tenho receio de assumir um papel maternal inclusive.

    Nesse redemoinho eu fico bem perdida, sinto que não vou dar conta. Culpo meu namorado por não procurar ajuda, sempre focado no financeiro e material, que é justamente onde a vida açoita ele. Me culpo por fraquejar inúmeras vezes. Me culpo por não ajudar financeiramente, não mais. Afinal, não acho que uma dívida ou outra seja o problema e sim a desorganização e o emocional.

    Alguém tem alguma história de convencimento sobre a necessidade de um profissional?

    Eu mesma fiz terapia e divido minha experiência dizendo como me ajudou. Eu tive um momento de muita baixa, bem sombrio. E depois que se faz terapia se entende que isso não passa, é componente de você. Tento dividir e até já falei com a mãe dele sobre terapia ( que no meu papel de mediadora volta e meia tenho abertura para conversar sobre muitas coisas), mas fico com receios de agir por aí. Já comentamos de ambas tentar conversar com ele, de organizar para viabilizar esse atendimento. Mas me tolhi… esperava que isso pudesse ter sido levado à frente separadamente.

    Por fim quero dizer que ele é um cara muito massa, querido pelos amigos, sempre me colocou pra cima e pá. Só tem um cenário de problemas mais sombrios na família, problemas que não consegue lidar e por isso tem se deprimido mais e mais.

    Tem sido difícil viver os problemas da minha vida e da dele. Queria dividir isso antes de tentar dormir novamente.

    Curtir

    • Bom , estou namorando uma pessoa com depressão , vai fazer um mês .. mas é a primeira crise que ele quer ficar sozinho … Fico mal com isso , quero ajudar e não posso …não sei o que fazer , o pior é que minha mãe também sofre de depressão …

      Curtir

    • Boa tarde. Minha namorada ou ex ja nem sei mais. Tem depressão e está na tpm. Estávamos super bem cheios de planos na segunda e na terça ela simplesmente disse não mais querer nada comigo. Ela tem um filho do casamento passado e o ex tem sido muito grosso com ela. Ela disse que quer cuidar dela e do filho e que não quer realizar mais nada comigo e com homem nenhum. Isso aconteceu mês passado devido a tpm, foi dolorido mas passou, mas agora a depressão é outro fator que agravou tudo. Dessa vez temo que seja realmente o fim e isso me assusta, pois amo ela e o filho por d+. Errei em forçar um pouco as coisas, mas me afastei e irei esperar com paciência passar a tpm e esperar ela passar pelo psicólogo pra ver se assim como mês passado ela volta a me procurar. Moramos em estados diferente e a distância me deixa ainda mais louco, queria estar por perto, mas mesmo lonje ela sabe que sempre pode contar comigo, não entendo o que ela passa, mas sempre estou aqui pro que precise.

      Curtir

      • Oi, moço. Obrigada pela leitura!
        Bom, para começar: tpm não é um período mágico em que coisas ruins acontecem porque a mulher fica maluca. Pelo contrário: é um dos momentos do ciclo menstrual em que a mulher está mais em contato consigo mesma e com aquilo que ela quer. Se ela te disse que não quer mais nada com você, é provável que seja isso mesmo – e não uma “invenção” da tpm. Pela sua mensagem, não fica claro o que você “forçou”, mas se isso levou ela a terminar o relacionamento, talvez seja legal você usar esse tempo longe dela para olhar para dentro e pensar no que você poderia melhorar. E se ela tem mesmo depressão, e de extrema importância que ela tenha um tratamento médico adequado, além de muito apoio. Nesse momento, você precisa pensar no que é melhor para ela, e infelizmente, pode não ser você. Dê um tempo, respire fundo, foque na sua vida e dê um espaço a ela.

        Curtir

      • Eu, tu, elas. Estou passando pelo mesmo com você no caso é minha namorada que está assim, se você está lendo essa msg ou outra pessoa que esteja lendo, por favor, entre em contato comigo no meu email: helderspk@gmail.com ou whats 067 999983376. Preciso conversar com alguém que esteja passando pelo mesmo que eu.

        Curtir

  7. Meu namoro fez 7 meses e meu companheiro sofre de depressão.
    Sua experiência compartilhada é de grande ajuda.
    Você pode indicar um livro?Ou sites que vc procurou e que tem te ajudado?
    Ou um grupo privado aonde possa conversar?

    Curtir

  8. Nossa me vi a minha história nesse texto, estou sofrendo muito com isso, ontem mesmo ele disse pra dar um tempo, e eu estou sendo egoísta.

    Curtir

  9. Se eu pudesse dar um conselho, eu diria, não desista da pessoa com depressão. Se realmente ama essa pessoa, tenha paciência. Esteja ao lado dela, mesmo que não fisicamente, mas, deixe ela saber que vc está esperando, demonstre seus sentimentos, e tente ficar bem. Eu é meu namorado estamos bem e felizes agora. Em breve vamos nos casar! Algo que parecia impossível nos seis primeiros meses de namoro. Qdo lembro do qto sofri, das noites chorando, sozinha, sem entender o que estava acontecendo, mal consigo acreditar que superamos e estamos juntos! Não desista!

    Curtir

    • Nossa como é bom lê isso….tô vivendo exatamente isso. Não quero terminar,e ele também não….mas fala q não q atrapalhar minha vida.
      Mas eu o AMO,e p piorar tem a distância. Eu moro em São Paulo,e ele Santa Catarina. E nem ele sabia dessa depressão,eu q insistia em conversar quanto ele tem crises,agora ele reconheceu q está depressivo.
      E lê isso,me trouxe um pouco mais de esperança. Te desejo toda sorte,e com essa vivência você possa ajudar mais casais.

      Curtir

    • estou passando o mesmo! Namoramos 3 meses, mas muitooo intensos, já sabia que ele fazia terapia.. mas nunca me passou na cabeça que poderia ser por causa de depressão, mas no decorrer do namoro via, ouvia algumas coisas que “estranhas”. Assim que chegamos de viagem em fim de janeiro.. ele me apresentou um comportamento estranho, fechado, já estava passando por algum problema.. e ficamos do dia 29 jan até dia 02 de março apenas falando por telefone.. a sogra, e ele sempre me pedindo paciência e manter a calma.. e concordei para q ele pudesse resolver este problema q ele estava passando, mesmo achando tudo muito estranho.. No dia 03 de março, encontramos.. e me disse q iria retomar/ recomeçar as coisas, mas o “problema” dele ainda não tinha sido resolvido. E falou de passarmos o fds juntos.. chegou o fds, ele me deu “bolo”… E mandei mensg. , apenas isso… nos afastamos e nos vimos só no fim de março, e ele foi ate a minha casa para conversarmos… ele estava transtornado… se sentindo incapaz, triste, olhos lacrimejando, etc.. no final da nossa conversa perguntei se era meu namorado, e ele como: “não ligo, nao faço isso e aquilo…” , disse que queria ir para o mato virar indio… q me “congelou no coração dele junto com a filha (que estava tendo problema)… no final disse 2 x (amor…) e na hora de ir embora…. nos abraços, os dois com vontade de chorar… e falei: é assim que vc se despede das pessoas que gosta, ele eu não despedi da minha filha assim?! E se eu poderia ligar para ele, aí ele falou q só se fosse para falarmos sobre a gente… e foi embora. (resumi a nossa conversa)

      Estou arrasada, depois dessa nossa conversa, tentei falar com ele… por telefone, mandei mensagens de textos falando sobre a gente… Pq só depois dessa nossa conversa, e ligando as coisas .. com o q a mãe dele me falava, pelo comportamento dele etc… que me dei conta que eram sintomas de DEPRESSÃO.

      Enfim, ele não quis a minha ajuda….. por último mandei mensagem dizendo q não desistira dele etc. Ele me disse que “não quer mais contato, para eu compreender, por favor”

      Depois dessa mensagem, ele me bloqueou no facebook e whatssapp. Estou muito triste…. não sei o que fazer!!! Pq nos viamos juntos por muito tempo… ele dizia que eu era o maior presente da vida dele, etc.

      O QUE EU FAÇO????? PLEASE!!!!

      Curtir

  10. Bom, eu estou passando por uma situação parecida, com um agravante: ele é alemão, eu “moro” no Brasil e ele na Alemanha. Estamos juntos há 3 anos, sempre visitamos um ao outro pelo menos 4 vezes ao ano, revezando. Eu sempre disse a ele que quando terminassem meus estudos, eu iria tentar um emprego na Alemanha antes de nos casarmos e ele sempre esperou por isso. E é o que tenho feito. O problema é que da última vez que eu estive por lá, ficaria 3 meses (prazo máximo que posso permanecer na Europa sem o visto). Mas tive que voltar para o Brasil antes do previsto, já que minha mãe teve um derrame e precisei vir com urgência. Ele já estava muito desanimado, mas foi perceptível uma “melhora” enquanto estávamos perto. Mas agora, me preparo para voltar à Alemanha em junho e, quando disse isso a ele, as coisas pioraram. Ele gostaria que eu fosse mais cedo, disse que precisa de mim por lá e que até não sabe que tipo de homem ele será quando eu voltar. Eu não consigo voltar antes disso, minha mãe ainda precisa de uma certa atenção e eu também estou me tratando de um pequena úlcera (talvez até por conta do estresse que passei nos últimos meses). Por mais que eu tenha dito tudo isso a ele, me parece que está fora de si. É como se ele depositasse em mim toda a sua confiança e ainda colocasse em sua cabeça: “quando ela estiver aqui, tudo vai mudar”. Sei que isso não é verdade, que eu não sou a responsável pela sua condição, mas é complicado saber como ele está. Não sei como agir. Para piorar, quando ele soube que eu voltaria somente em junho, acabou ficando irritado ao extremo e quebrou o celular…não consigo me comunicar por esse meio agora, somente por skype. Ele mora sozinho e fico pensando o tempo todo o que ele estaria fazendo. Não quer mais a ajuda dos pais, se comunica bem pouco com os irmãos e tem se distanciado de mim. Por mais que ele tenha me dito que eu deveria desistir e cancelar minha viagem (ele afirma que não quero segui em frente com o nosso relacionamento), eu apenas digo que jamais vou desistir e que estarei lá, de volta. Tenho conversado muito com a família dele, meus sogros e meu cunhado são pessoas que entendem muito mais que eu a condição dele. Eles me apoiam e espero muito que fiquem atentos ao que pode acontecer. Só posso dizer que é complicado entender que não temos responsabilidade sobre a pessoa depressiva, no sentido de não sermos os responsáveis pela sua melhora ou piora…até afirmo que quando alguém da família adoece, todos os membros adoecem juntos e também precisam de ajuda. Esse é meu desabafo e tenho rezado muito para que Deus cuide dele e o “inspire” a procurar ajuda médica. Ele parece não ter motivação nenhuma para isso, por mais que falamos ou ajudamos.

    Curtir

  11. O QUE EU FAÇO??!!! PLEASE

    estou passando o mesmo! Namoramos 3 meses, mas muitooo intensos, já sabia que ele fazia terapia.. mas nunca me passou na cabeça que poderia ser por causa de depressão, mas no decorrer do namoro via, ouvia algumas coisas que “estranhas”. Assim que chegamos de viagem em fim de janeiro.. ele me apresentou um comportamento estranho, fechado, já estava passando por algum problema.. e ficamos do dia 29 jan até dia 02 de março apenas falando por telefone.. a sogra, e ele sempre me pedindo paciência e manter a calma.. e concordei para q ele pudesse resolver este problema q ele estava passando, mesmo achando tudo muito estranho.. No dia 03 de março, encontramos.. e me disse q iria retomar/ recomeçar as coisas, mas o “problema” dele ainda não tinha sido resolvido. E falou de passarmos o fds juntos.. chegou o fds, ele me deu “bolo”… E mandei mensg. , apenas isso… nos afastamos e nos vimos só no fim de março, e ele foi ate a minha casa para conversarmos… ele estava transtornado… se sentindo incapaz, triste, olhos lacrimejando, etc.. no final da nossa conversa perguntei se era meu namorado, e ele como: “não ligo, nao faço isso e aquilo…” , disse que queria ir para o mato virar indio… q me “congelou no coração dele junto com a filha (que estava tendo problema)… no final disse 2 x (amor…) e na hora de ir embora…. nos abraços, os dois com vontade de chorar… e falei: é assim que vc se despede das pessoas que gosta, ele eu não despedi da minha filha assim?! E se eu poderia ligar para ele, aí ele falou q só se fosse para falarmos sobre a gente… e foi embora. (resumi a nossa conversa)

    Estou arrasada, depois dessa nossa conversa, tentei falar com ele… por telefone, mandei mensagens de textos falando sobre a gente… Pq só depois dessa nossa conversa, e ligando as coisas .. com o q a mãe dele me falava, pelo comportamento dele etc… que me dei conta que eram sintomas de DEPRESSÃO.

    Enfim, ele não quis a minha ajuda….. por último mandei mensagem dizendo q não desistira dele etc. Ele me disse que “não quer mais contato, para eu compreender, por favor”

    Depois dessa mensagem, ele me bloqueou no facebook e whatssapp. Estou muito triste…. não sei o que fazer!!! Pq nos viamos juntos por muito tempo… ele dizia que eu era o maior presente da vida dele, etc.

    O QUE EU FAÇO????? PLEASE!!!!

    Curtir

    • Bom, parece que o problema aqui não é a depressão dele. Ele de fato não quer ter um relacionamento agora e deixou isso bem claro, inclusive excluindo você da vida dele. É triste, mas agora o melhor a fazer é esquecer – faça isso por você.

      Curtir

      • Acho que cada pessoa reage de um jeito com a Depressão, pelo que já li.

        No momento da nossa conversa, ele me disse que ninguem poderia ajuda-lo “nem a mãe, eu, a filha.. somente ele”, que ele se sentia um vazio… que nada estava dando certo pra ele… Que eu a “namorada”, não tem culpa.. que o problema não era eu… que eu era um anjo… Que estava tmb em crise com a mãe dele, pq moram juntos (unico filho, pai dele faleceu…) ”

        Acho que ele me bloqueou, para não sofrer ainda mais… Pq ele fez isso +- com a filha dele tmb, não estava nem se falando com ela.

        Mas hoje tenho a consciência tranquila, que mesmo q só pelo Whattassp falei tudo o que sentia.. pq na ultima conversa e nem depois eu não tive essa oportunidade de falar com ele pessoalmente , pq no dia foi só ele que desabafou.

        Mas doiiiii, amo ele, a minha sogra e me apeguei as filhas dele. Tmb tenho uma filha, e ele me dizia que eramos uma família.

        ESTOU PERDIDA!!! MAS NÃO VOU MAIS MANDAR NADA PRA ELE…

        Curtir

      • Você deveria procurar terapia. Vai te ajudar a superar isso. No blog mesmo temos uma lista de lugares que oferecem tratamento psicológico a preços acessíveis.

        Curtir

  12. Namorei 1 ano e 4 meses uma pessoa com depressão ele nas crises de depressão terminava comigo dizia que não me amava mais e que eu merecia alguém melhor fez isso 3 vez,a última crise dele foi em novembro de 2016 terminou cmg dizendo não me amar mais sofri demais,chorei muito depois de 4 meses ele me procura dizendo que ainda me ama,que ele estava com depressão.eu sei que deve ser difícil pra ele sempre dei amor e carinho,eu disse q ele que ainda o amo e quero voltar com ele,mais que ele reconheça que tem depressão e procure terapia pois só assim seremos felizes me habilitei a ir com ele nas sessões e procurar
    psicólogo com ele ,ele me disse que não precisa que ele está curado com os livros de Augusto Cury com dor no coração eu disse para ficarmos afastados então pois toda crise dele eu me sinto péssima com tanto desprezo..
    to muito mal gente mais se ele não se ajuda como poderei ajudá-lo? Ele não quer se tratar! Ou seja nas próximas crises será igual.. 😦

    Curtir

    • É isso aí, tristonha. Ele não vai conseguir te amar se ele não for procurar ajuda de verdade. De que vale um relacionamento em que o cara te despreza tanto? Depressão não é desculpa.

      Curtir

  13. Já é a segunda vez que leio esse texto, assim que comecei meu namoro eu li e achei muito bom. Hoje ja faz cerca de três meses que estamos juntos e meu namorado tem algumas coisinhas como depressao crônica, sindrome do pânico e asma (a asma foi so um detalhe porque quando ele tem ataque de panico nao é normal, ele quase morre literalmente sem ar também) que me deixam “complexada”.

    Nos conhecemos há cerca de 01 anos por meio de uma amiga, tentamos ficar juntos por um tempo mas na epoca nao deu certo. Traçamos caminhos diferentes, final do ano passado tudo começou, imaginei que iria ser dificil namorar alguem com tantas peculiaridades, so nao achei que fosse tanto.
    Me identifiquei muito com o post pois sai de um relacionamento longo, estavel, aqueles conto de fada lindos, que tínhamos poucos problemas, de 3 anos, para um namoro bem conturbado e complicado, entao sou muito insegura comigo mesma, como se eu nao fosse capaz de fazer alguem feliz e ser frliz ao mesmo tempo, alem de que tenho de agravar a depressao dele com cada palavra que eu digo ou ação que eu faço. Fico pensando em terminar para nao magoar ele,ao mesmo tempo que acho que vou magoat ao terminar, fico muito confusa.
    Sei que nao posso cura lo, mas começamos a namorar depois de tres tentativas de suicídio, e enquanto estavamos juntos quase uma novamente , fico pensando se a gente terminar como vai ser, gosto muito dele não conseguiria conviver com a culpa de ter deixado ele sozinho e ele ter se machucado. Os remédios ja nao ajudam mais e o psiquiatra disse que as dores psicologicas nunca vão passar.

    No fundo nao sei se estou realmente feliz com ele, se estou com ele só pelo sentimento de cuidado e fico feliz com as melhoras dele ou se nosso namoro me faz feliz.

    Curtir

    • Isso está fora das suas mãos, leitora. E se ele tentar suicídio de novo, jamais será culpa sua. Nos parece que é você que precisa de ajuda profissional e atenção. Se cuide! Ele não pode ser a única e nem a maior preocupação da sua vida.

      Curtir

  14. Excelente texto! Eu conheci um rapaz ótimo e estamos namorando há dois meses , mas eu pude perceber alguns sintomas de depressão nele. Ele me contou que morou no Japão durante 6 anos e esteve afastado da família , nesse período teve depressão. Ele já tem 4 anos no Brasil, mas acredito que ele tem crises depressivas costumeiramente. Tem épocas em que ele está distante, indisposto ao sexo, hoje mesmo nem no telefone ele queria conversar e me disse pelo wpp que me ligava amanhã ( primeira vez que ele faz isso) . Mesmo com pouco tempo me apeguei a ele e estou insegura sobre ele de repente terminar comigo porque ele tem medo de não conseguir me fazer feliz. O que eu faço?

    Curtir

  15. Olá a todos,
    Tenho depressao, e namoro com uma rapariga fantastica há quase 1 ano e meio. Sempre a respeitei, sempre gostei dela, alias, é a mulher mais linda que vi. Só que desde há 1 ano eu comecei a ficar deprimido. Eu estudo musica, toda a gente dizia que eu nao prestava, e eu me matava todos os dias a estudar, comecei a duvidar de mim, ate os professores o diziam. Pra fugir disso meti me nas drogas, comecei por fumar um charro de marijuana de vez em quando, foi aumentando, varias vezes por dia fumava, aí me apercebi que era hora de deixar, a minha namorada me ajudou, foi dificil, muito difixil. Faltei às aulas e toda a gente pensava que eu era um baldas me senti triste por isso. A situacao foi piorando, desenvolvi depressao, foz psocoterapia e agora tenho sessoes com um priquiatra e tomo anti depressivos. O que é horrivel… Perdi com os medicamentos a vontade total do sexo… Nao tenho… Afeta a nossa relacao… Mas ela diz me que esta tudo bem, que ela esta ali porque me ama, pela pessoa qie sou. Só que ultimamente ela tem precisado de apoio para acabar o curso dela, e eu nao consigo dar… Sento me inutil… Sinto me frustrado… Às vezes ela precisa de atencao como toda a mulher mas eu me sinto tao triste… Tao fraco… Tao inutil… Qie acabo por nem dar a atencao devida e ela acaba por ficar desiludida… Embora ela diga sempre que nao faz mal qie me compreende. Ela já passou por uma depressao antes e diz que tudo o que estou a passar ela me compreende nao tem mal… Mas sinto que eu afeto a relacao… Eu amo a sabe… So que às vezes eu so queria apoia la naquilo que ela mais gosta e acabo por nao conseguir… Ela sempre foi compreensiva e tudo mais… Mas sinto que eu poderia fazer maos por nós… Nao sei…

    Curtir

    • Leo,

      era bem isso o que meu ex namorado sentia…. Dizia que só ele que poderia “se auto ajudar”, nem eu , nem a mãe e a filha conseguiriam ajuda-lo.

      mas mesmo assim tentei ajuda-lo, mas ele não quis! E terminou comigo… me bloqueou do face e whatassp…

      Estou pessíma, pq sei que terminou gostando de mim..

      Nem sei mais o que fazer, depois dos bloqueios eu nunca mais procurei ele.

      Curtir

  16. Muito obrigado, minha namorada tem depressão e eu não sabia como lidar com isso, principalmente com a parte de ela querer um tempo sozinha, sempre me sinto inseguro com isso, mesmo ela dizendo que me ama, e essa minha insegurança a faz fica pior.

    O texto me fez entender melhor toda a situação, com certeza vou poder conviver melhor com ela agora 🙂

    Curtir

  17. Realmente me sinto muito mal, pois estou namorando a 2 meses e estou para completar 3 meses, me sinto incapaz de fazer minha namorada feliz, ela de vez em quando me fala que só quer dar um fim, e isso me dói o coração ela também já avisou que n fez nada de mais pois luta por mim, e msm assim ela esconde isso dos outros, nunca passei por isso e não sei como reagir já falei para ela me dar uma chance, ela sofre escutando merda de pessoas babakas até mesmo a própria família e fico com medo, pois se a própria família lhe dá motivos para deixala triste oq fasso para que ela n se importe com isso.
    Falei com ela antes de saber que ela era assim e ela não queria se abrir ja foi um avanço ela falar disso, mais simplesmente tento poder ajudar do jeito que for possível eu falo para ela que queria que fosse só nós dois, que assim ela n estaria com esses babakas, mais infelizmente não temos essa realidade é realmente isso ajudaria ela, pois ela mesmo concorda.
    Minha dica é tente saber se ela tem seus motivos para isso e se ela (ou ele) realmente tiver proteja ele disso proteja ela seja o ponto seguro dela.

    Curtir

  18. Estou passando pela mesma situação que a maioria, namoro há 4 anos e meu namorado está com depressão, pediu um tempo comigo pois disse que precisa se “resolver”. Sei que é egoísmo de minha parte, até me senti culpada por diversas vezes, mas ele querer ficar sozinho acho que só agrava a situação.

    Curtir

  19. Olá, acabei e ler esse texto e me senti muito identificado com várias coisas colocadas pela autora, no meu caso é a minha namorada. No nosso caso, já se passaram quase dois anos desde que começamos a namorar, e em quase um ano de namoro ela foi diagnosticada com depressão e ansiedade. Ela já tinha passado por alguns momentos ruins, mas na época do diagnostico, ela estava no meio de uma crise e eu não entendia o que estava realmente acontecendo. Vale falar que eu não estava em uma boa fase da vida também(morava longe, sem emprego, não estava estudando), claro que nada comparado ao sofrimento, então isso também contribuiu pra que as coisas ficassem mais tensas no relacionamento. Nesse período ela me pediu um tempo, como eu disse, as coisas não estavam fáceis pra mim, eu não soube lidar muito bem de início, mas depois aceitei isso numa boa. Em menos de uma semana estavamos, mas eu não sei se o fato de eu ter voltado pra casa foi algo influenciou de forma positiva pra essa melhora. Ao longo de mais esse ano, ela “terminou” o tratamento, voltou pra rotina super estressante que ela tem na universidade, como ela esta no final do curso, eu sei que muitas coisas acontecem, e no meio dessas coisas, outra crise foi desencadeada pelo estresse e mix de emoções e sentimentos que ela estava passando. Só que diferente do ano passado, agora eu estou na universidade também, continuamos namorando a distância(apesar de eu ter voltado pra casa como disse ali em cima, nosso namoro sempre foi à distância, porque ela mora em outra cidade que não é a minha cidade natal), porém nesse momento a cada crise que ela passa, eu me sinto mais impotente, inútil e não presente. Eu estou com uma rotina bem pesada onde tem dias que eu tenho que esquecer realmente quem eu sou pra que eu possa dar conta de tudo o que esta acontecendo comigo e não surtar em algum momento. Porém, é nesse momento que ela coloca que mais precisa de mim, o que aumenta mais ainda esse sentimento de impotência. A gente tentou dar um tempo, no caso dessa vez foi eu quem pedi, ela não aceitou de forma alguma e como eu já estava me sentindo muito culpado com tudo que estava acontecendo, eu decidi não me afastar. Agora eu não sei se eu estou junto com ela realmente porque eu a amo (porque sim, eu a amo, mas amor não sustenta nenhuma relação plenamente), ou se por medo de algo acontecer e eu não estar presente pra fazer algo, mesmo eu sabendo que eu não estou presente fisicamente. Eu sei que se não houvesse a distância as coisas seriam bem mais fáceis entre nós, mas apesar disso, desde o inicio eu disse que não colocaria culpa/peso na distância sobre nós, mas agora eu de certa forma me sinto insustentável pra poder ser o alicerce que ela precisa. Ontem ela teve outra crise antes de voltar pra Universidade, desencadeada por um desentendimento com o pai, ela me mandou varias mensagens falando que tava realmente mal com tudo aquilo, e que não parava de pensar em tomar todos os remédios que o psiquiatra havia prescrito de uma vez, ela estava pensando em se matar, eu não estava ali presente porque estava tendo trabalho na universidade e depois tinha alguns relatórios pra fazer. E se ela realmente tivesse feito isso e por eu não estar ali pra dar aquela palavra que ela precisasse ouvir, ema tivesse feito algo consigo mesma? Eu to me sentindo muito mal nesse momento por não poder fazer nada além desse roteiro de conversa que eu já decorei em como ter sobre os tempos de crise, eu realmente to muito mal e to com muito medo de surtar com tudo isso que tá acontecendo com ela e comigo. Esse foi meio que um desabafo e um pedido de ajuda, porque eu não sei mais o que fazer, isso tudo tá me consumindo, e sempre que eu volto minha cara para os estudos eu me sinto culpado por não estar ali o tempo todos “cuidando” dela pra que não aconteça nada. Se alguém puder conversar comigo sobre, ou se já passou por algo do tipo (namoro a distância + depressão), por favor, me dê uma luz. Obrigado.

    Curtir

  20. Namorei durante 2 anos, depois de alguns meses sabendo que o diagnóstico era depressão, o meu namorado pediu um tempo, passado 2 semanas acabou comigo dizendo que não estava bem consigo próprio e que não consegue estar numa relação. Que precisava de se curar. Implorou-me que continuasse amiga dele… Disse-me que me ama muito e que foi das coisas mais dificeis que fez na vida. Eu sei que ele precisa do meu apoio mas não sei como me aproximar novamente… O que faço? Ele é tudo para mim… 😥

    Curtir

  21. Boa noite,

    Li esse texto e me emocionei me encontrei nesse texto e encontrei minha namorada, adorei muitas dicas que aparecem e tentarei colocar em pratica. Porém no meu relacionamento há um problema diferente do apresentado no texto, minha namorada não acredita que isso seja algo como uma doença e não acredita no tratamento de um psicologo, aliás quando eu tento sugerir algo ela fica com raiva e diz que não é doente. Gostaria encarecidamente que vocês possam me ajudar a lidar com isso, que vocês possam me ajudar a ajuda-la pois eu a amo muito e quero ver minha namorada bem e feliz.

    Curtir

  22. Parabéns, Texto lindo… Passando pela mesma situação, e assim como você, fico inseguro… Não sei como me comportar, mesmo tentando ser o mais compreensivo e ajudar, é muito difícil quando se sente incapaz de proporcionar qualquer felicidade. O Claudio também adora videogames …rs..

    Acho que no momento, o que precisamos reconhecer o estado depressivo dele e incentivá-lo a considerar o acompanhamento médico.

    Curtir

  23. Lindo o texto , sou estudante de psicologia . Já desconfiava que meu namorado tinha depressão , ontem ele foi na terapia e o psicologo dele disse que ele precisa de ajuda de anti-depressivos . Ele ficou abalado , tentei acalma-ló .
    Como estamos perto do dia dos namorados já comprei o presente adiantado .
    Porem ele chorou quando viu o que tinha ganhado , disse que sou uma mulher que não existe e etc.

    Já tive depressão , eu amo ele e sempre vou ajuda-ló , não é pq faço psicologia que devo saber o que ele tem ou não .

    Ele precisa de ajuda , muita ajuda , e estou disponivel para ajuda-ló .

    Curtir

o que você acha?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s