10 músicas para sobreviver aos parabéns pelo Dia das Mulheres

por Letícia Souto

Oito de março é sempre um saco para as mulheres. Dia em que todo mundo resolve ser gentil e te parabenizar “por ser mulher”. Ganhamos flores, cartõezinhos e felicitações. Mas é só hoje. Nos outros dias, continuamos a ser tratadas como objetos de posse e seres subestimados.

Por isso, aqui estão 10 músicas que irão te inspirar a sair da cama hoje e sentir orgulho de ser mulher pelo simples fato de sermos quem somos. Já está difícil agora? Então, prepara o fone e mete o play.

1 – Wayne County and The Electric Chairs – Fuck Off

Por que eu deveria estar ouvindo?

“If you don’t wanna fuck me baby, fuck off” (Se você não quer transar comigo, vá se f*der)

Jayne County foi a primeira transexual a surgir na cena punk norte-americana na década de 70 e já chegou de voadora com sua mistura bombástica de glitter e jaquetas de couro. Ótima para dar aquela aliviada na alma, né não?

 

2 – X-Ray Spex – Oh! Bondage Up Yours

Por que eu deveria estar ouvindo?

“Some people think little girls should be seen and not heard but I think oh bondage up yours!” (Algumas pessoas acham que garotinhas deveriam ser vistas e não ouvidas, vai se f*der!)

Punk com saxofone e vocal ardido é certamente a melhor combinação que você vai descobrir hoje. A vocalista da banda formada em 1976, Poly Styrene, é a alma agressiva e voraz das mulheres em buscas de seus direitos nos anos 70.

 

3 – The Plasmatics – A Pig Is A Pig

Por que eu deveria estar ouvindo?

“Whatever role they are playing
These creeps are always the same
Because a pig is a pig and that’s that” (Qualquer que seja o personagem, esses vermes são sempre a mesma coisa, porque porcos são porcos e é isso)

A líder Wendy O’ Williams, além de ser queridinha do Lemmy Kilmister e se apresentar sempre nua ou seminua, dispensou dublês e subiu no capô do ônibus em movimento no clipe da música The Damned. Atitude, sim ou claro?

 

4 – Bikini Kill – I Like Fucking

Por que eu deveria estar ouvindo?

“Just ‘cause my world is so fucking goddamn full of rape
Does that mean my body must always be a source of pain?” (Só porque meu mundo é cheio de estupro isso significa que meu corpo precisa ser sempre uma fonte de dor?)

Bikini Kill foi a banda que deu o pontapé inicial do movimento punk feminista dos anos 90, que ficou conhecido como Riot Grrrl. Kathleen Hanna também integra as bandas The Julie Ruin e LeTigre, que valem a pena serem ouvidas.

 

5 – The Muffs – Really Really Happy

Por que eu deveria estar ouvindo?

“I don’t care of what anyone thinks about me
I’m not afraid of what you say or do it doesn’t hurt me” (Eu não me import com o que ninguém acha de mim, eu não tenho medo do que você diz ou faz, nada disso me machuca)

A irreverência graciosa de Kim Shattuck nos vocais e na guitarra é a própria definição de fofura agressiva. E isso pode ser claramente percebido em absolutamente todas as canções. Letras fortes com arranjos dançantes garantem o equilíbrio e a genialidade do trio nascido nos anos 90.

 

6 – Sonic Youth – Nevermind (What Was It Anyway?)

Por que eu deveria estar ouvindo?

“Boys go to Jupiter to get more stupider
Girls go to Mars, become rock stars” (Garotos vão para Júpiter para ficar mais estúpidos, garotas vão para Marte se tornarem rockstars)

Com Kim Gordon nos vocais, essa música é a única coisa que me tira da cama em alguns dias da semana. Talvez funcione pra você.

 

7 – The Distillers – Sick Of It All

Por que eu deveria estar ouvindo?

“We are kids we play punk rock and roll
If we didn’t we got no soul” (Nós somos crianças, nós tocamos rock and roll, se não fosse por isso não teríamos alma)

The Distillers foi uma das bandas que fez o punk ressurgir das cinzas no começo dos anos 2000. A voz rasgada de Brody Dalle é a marca registrada representando toda essa fúria juvenil que lhes é peculiar.

 

8 – Juliette and The Licks – Inside The Cage

Por que eu deveria estar ouvindo?

“Silence is deep never what you’d think
I’ll waste, I’ll waste, I’ll waste inside the cage” (O silêncio é profundo, nada do que você imaginaria, eu vou definhar dentro da jaula)

Porque não há nada que Juliette Lewis não saiba fazer. Além de atriz, nos palcos ela se entrega ao seu som da forma mais enérgica possível. Até voar ela sabe, tenho certeza.

 

9 – The Nymphs – Sad and Damned

Por que eu deveria estar ouvindo?

“Sitting in my room, waiting for the sun
I hope it comes, I hope it comes
I’m sad, I’m damned I need someplace
I gotta get away, I gotta get right out of here” (Sentada em meu quarto, esperando pelo sol, espero que ele venha, espero que ele venha, eu estou triste e amaldiçoada, preciso de algum lugar, eu preciso sair daqui)

Simplesmente porque The Nymphs é uma das bandas mais subestimadas e injustiçadas dos anos 90. A vocalista Inger Lorre soa como uma linda fada do submundo. E ela é mesmo. Te amo, Inger!

 

10 – Poison Girls – Cry No More

Por que eu deveria estar ouvindo?

“I’m tired of crying, it changes nothing
For the abuse of sex, the endless rape” (Estou cansada de chorar, isso não muda nada, não muda o abuso, os estupros infinitos)

A vocalista Vi Subversa, falecida mês passado, surgiu com a Poison Girls na explosão do punk quando ela tinha 44 anos e mãe de dois filhos. Isso deu força para as mulheres se engajarem e mostrarem que podem fazer música independentemente da idade.

 ❤

Agora sim, esqueçam as flores! Feliz dia das mulheres com muita música, amor e revolução!

leticia
Letícia Souto tem 19 anos de ócio criativo. Graduada em preguiça e pós-graduada em procrastinação pela Universidade da Vida. Gata em um mundo cão
Anúncios

o que você acha?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s