Carta aberta aos homens com quem me relacionei

por Luciana Kasai | Foto: Benjamin Askinas

Hoje eu só posso pedir desculpas.

Desculpas a mim mesma por ter aceitado tão pouco.

Por ter aceitado suas migalhas, tão esporádicas.

Por me sentir sempre tão insegura ao teu lado, cada vez mais propriedade tua e menos

dona de mim.

Por não conseguir verbalizar minhas opiniões e por engolir tudo o que sentia, pra não te

incomodar, nem te irritar.

Por te colocar em um pedestal tão alto e longínquo de mim.

Por rir, sem graça, das tuas piadas racistas, por medo do que você iria dizer.

Por me calar todas as vezes em que você feriu meus sentimentos.

Por ser tão dependente emocionalmente de uma criatura que gostava tanto de me

agredir.

Por tentar emagrecer, só pra ver se você gostava mais de mim.

Por acreditar que tu gostava de mim.

Quando na verdade não gostava.

Quando tudo o que você queria era um troféu pra mostrar pros teus amigos,

Um status a mais na tua vida cheia de privilégios

Dos quais você nunca vai abrir mão.

 

Eu queria ter tido voz mais cedo.

Eu queria ter respondido quando você me insultou.

Queria ter defendido minhas ideologias e ter dito a você o quão mesquinho você é.

O quão infeliz você é por pensar que pode tratar mulheres como objeto.

E manipulá-las do jeito que bem entender.

Empoderar-me diariamente.

Empoderar minhas irmãs para que elas não passem pelo que eu tive que passar.

Para que não passem por nada pior.

Me amar.

Me amar acima de tudo.

E saber que, mesmo que minha militância seja pequena,

Mesmo que eu seja como uma formiguinha distribuindo minhas palavras,

Empoderar uma irmã, é me empoderar novamente.

É saber que não estamos nessa sozinhas.

E que não vamos mais aceitar tuas migalhas.

Nós já aprendemos a fabricar nosso próprio pão.

IMG_20160218_120730
Luciana Kasai, 21 anos. Feminista radical por necessidade, tatuada por paixão e gorda com orgulho.
Anúncios

17 comentários

      • Ótimo texto! Com certeza sempre daremos pitaco. O radicalismo não é o caminho para resolver nada. O diálogo sim.

        Curtido por 1 pessoa

      • Não. Tudo que foi colocado eu vejo como escolhas pessoais. Se estiver tão babaca assim o Eu, tu, elas ainda pode bloquear meus comentários, mas gostaria que não fizesse. Acho que essa questão pode ser visto completamente fora do viés feminista ou não (não conheço seu background).

        Curtir

      • Oi, Vinicius, tudo bom?

        Seu comentário original faz sentido: a gente precisa mesmo se amar. Mas dizer que ela escolheu ser abusada é bem extremo. Ninguém escolhe ser insegura, e ninguém escolhe ser abusada.

        Foi bem babaca. Você está opinando sem nem conhecer a moça, sem um pingo de empatia. E o que é pior, está fazendo isso a partir da sua posição de opressor.

        A gente acha legal que você tenha vindo ler o texto da mana, mas pensa antes de dizer uma coisa dessas. Você pode magoar.

        Curtir

  1. amei esse texto e me sinto passando por isso! Obrigada pelas palavras e por me encorajar a fazer delas minhas, por me ajudar a me empoderar ainda mais, mesmo que com um texto (que para alguns pode ser algo tão pequeno). Parabéns mana ♥

    Curtir

  2. Me identifiquei com algumas frases… Infelismente é mt díficil encontrar alguém que saiba te amar como se é amado. Mt raro!

    Curtir

  3. No começo do texto eu me identifiquei, no meio meus olhos ja estavam marejados e no fim chorei ao lembrar de quando me libertei e hoje luto ao libertar uma irma por vez, caminhando juntas mulheres nao estão sozinhas ❤

    Curtir

  4. Risos.

    Parabéns por generalizar.

    Parabéns por escolher errado os cafajestes e ignorar os bonzinhos.

    Parabéns por ver que o homem tem bem menos escolhas que a mulher, menos poder no relacionamento e mesmo assim não fica fazendo esse mimimi de movimento sexista.

    Cresça.

    Curtir

  5. Obrigada! Seu texto descreve o que eu sinto quando penso em antigos relacionamentos, é bom ver que mais pessoas que entendem e já passaram por algo pelo menos parecido com o que já passei, relacionamentos abusivos é algo muito complicado, e mais complicado ainda aceitar que está nele. O empoderamento é constante, todo dia uma desconstrução nova, todo dia nos tornamos uma mulher nova e isso não é apenas ótimo, como também é lindo, a forma que nos transformamos em pessoas melhores, pessoas livres. Você não me conhece e nem eu te conheço, mas saiba que o texto meu ajudou bastante, e que ” […] eu sozinha ando bem, mas com você ando melhor”.

    Feminismo é revolução ❤

    Curtir

  6. Sou gay, por isso, do sexo masculino. Dessa forma nunca poderei ver totalmente como as mulheres são oprimidas e como se sentem de verdade diante da opressão. Todavia, esse relato é tão tocante e sincero e real que não tem como não dar pitaco. Todo gay acaba por ser tb rejeitado por representar o feminino que tantos machos odeiam, talvez seja até essa a razão de ser da homofobia. Posso então dizer que, de certa forma, tb sinto e vivo experiências bem parecidas com as que certamente Luciana e tantas outras mulheres vivem ou devem ter vivido todos os dias, pois é isso que vejo nos machos de nossas vidas. E sinto sim muita opressão, descaso, desprezo, humilhação. Claro que a saída é a luta, a auto valorização, a união, a empatia, para dar mais força a vozes e clamores como esse. Viva o feminismo sim, viva a luta contra toda e qualquer forma de opressão!

    Curtir

o que você acha?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s