Candidíase não é coisa de menina suja!

por Helô D’Angelo

Até a minha primeira transa, eu nunca havia tido candidíase. Ou seja: a vida era linda, os pássaros cantavam e minha ppk era livre. Mas, quando passei a ter relações, decidi tomar pílula anticoncepcional, a Qlaira. E foi aí que, como diria a Maysa, meu mundo caiu.

Tudo começou com uma coceirinha. Normal, eu pensei, é que nem coçar o braço ou a testa. Mas o raio da coceira não parava, e dos grandes lábios foi entrando cada vez mais até se instalar bem no centro do meu ventre, na forma de um zilhão de formigas em chamas caminhando e me picando. A coisa começou a latejar e, em pouco tempo, eu não conseguia mais andar de tanta coceira. Mesmo assim, eu me recusava a admitir que estivesse com algum problema. Afinal, vagina com coceira é vagina suja. E eu não era suja!

Um dia, eu me levantei de manhã para ir pro cursinho. Quando cheguei na cozinha, a coceira atacou a tal ponto que eu não conseguia andar. Não conseguia ficar de pé. Parecia que tinha um demônio devorando meu útero, minhas trompas, meus ovários, o canal vaginal, os lábios e tudo mais. Minha mãe me encontrou encolhida no chão e marcamos uma consulta com a gineco para dali a uma semana. Pela primeira vez, eu percebi o quanto ginecos demoram a atender, mesmo naquela situação. Acabei perdendo a festa de uma das minhas melhores amigas e algumas provas de vestibular por causa da cândida.

Quando finalmente, depois de dias de tormento, a data da consulta chegou, minha médica me explicou tudo: a candidíase é causada por um fungo chamado Candida albicans que todos, homens e mulheres, temos na pele. Ao contrário do que muita gente pensa, não é a sujeira que causa a candidíase, mas a mudança brusca do pH da pele. Quando isso acontece, o ambiente da vagina (no caso) se torna mais propício para que o fungo se prolifere, causando coceiras e um corrimento branco parecido com leite coalhado. O pH pode mudar por várias razões: estresse, lesões locais, baixa da imunidade, sabonetes (inclusive aqueles íntimos que prometem regular o pH!!) ou até por causa de uma variação hormonal repentina (leia-se: pílula). A candidíase é uma doença muito comum, que tanto homens quanto mulheres podem desenvolver, já que, repito, a Candida albicans habita a pele de qualquer pessoa “normal”. A diferença é que, nos homens, a cândida raramente é sintomática como é nas mulheres, porque a vagina é um espaço ideal para a proliferação de fungos (ou seja, quente, úmida e escura).

Para muitas meninas, basta tomar um antifúngico de dose única como o Fluconazol para a candidíase passar. Ele custa entre R$10 a R$30 na farmácia, e o parceiro ou a parceira deve tomar também para evitar a recontaminação. Outra opção é usar um creminho por três noites, chamado Clotrigel. É um pouco mais caro, mas funciona, e é bom para quem tem sensibilidade a remédios fortes como o Fluconazol (cuja dose, aliás, não pode ser tomada de novo em intervalos menores que uma semana, porque o antifúngico ataca o fígado).

Para mim, não foi tão fácil: a cândida já estava em um estágio tão avançado que acabou formando uma ferida no colo do meu útero, que eu tive que cauterizar no hospital (!). A minha flora vaginal estava completamente desorganizada, o que significou um tempão de Activia para regular o intestino (outra causa comum de candidíase). Foram meses de tratamentos experimentais como chás, pomadas, cremes e banhos de assento até eu me tocar que, talvez, o problema fosse a pílula. Quando parei com o anticonpecpional, o incômodo diminuiu consideravelmente até sumir por um tempão.

Hoje, eu ainda sofro de candidíase crônica. Em geral, quando fico muito estressada, ou quando volto a tomar pílula, ou então quando começo a vida sexual com novos parceiros, o fungo ataca. Aí, é um inferno, porque fico semanas e até meses sem transar, tentando vários tratamentos, até meu corpo se reorganizar. Atualmente, eu encaro a situação toda de um jeito mais leve: chamo a doença de Candy e até a vejo como uma “seleção natural de namorados”. Mesmo assim, é um pé na ppk!

O preconceito por trás da candidíase crônica acaba aumentando o problema, porque ninguém quer pensar em remédios eficazes para uma doença que, na visão geral, é uma questão de higiene. E eu repito: NÃO É. Aliás, lavar mil vezes a vagina e usar sabonetes ditos “íntimos” é que pode irritar a pele e levar a um ataque de candidíase. Tudo tem a ver com o nojo da ppk, um nojo construído pela sociedade machista em que vivemos. Vagina não pode ter cheiro, não pode escorrer, não pode ter pelos… Mas uma vagina saudável tem, sim, um odor característico, uma secreção característica para cada parte do ciclo menstrual e pelos que impedem a entrada e a proliferação de microorganismos causadores de doenças.

A candidíase é SIM um problema de todos, homens e mulheres, e falar dela tem que parar de ser um nojinho!

Helô D'Angelo tem 21 anos e curte jornalismo, mas ama  de paixão jornalismo em quadrinhos sobre minas.
Helô D’Angelo tem 21 anos e curte jornalismo, mas ama de paixão jornalismo em quadrinhos.

Anúncios

17 comentários

  1. Creminho por tres noites? Jesus, kkkk, quando eu tenho cândida eu uso um por uns 14 dias…
    Já passei por momentos tensos, quando eu tive da primeira vez foi que nem vc, ignorei ignorei, quando fui e ele me passou o creme, eu fui aplicar na primeira noite, juro que se tivesse como eu tinha subido pelas paredes, nunca senti uma coceira tão grande. Depois disso quando tenho cândida (tb tenho crônica) eu já vou de uma vez, porque ninguém merece tamanha agonia rs
    Tomo fluco a cada menstruação pq esse ano ja tive 3, 4 vezes… Mas to em busca de medicações alternativas, chás, acupuntura, qq coisa que não seja isso 😦
    Thanks for sharing ❤

    Curtir

    • Na verdade, todos os remédios cuja terminação é “zol” contém propriedades muito maléficas à saúde, ocasionando na maioria das vezes, numa piora do problema, principalmente quando existe um quadro de cândida. Essas medicações, por serem muito agressivas, acabam por exterminarem até mesmo as bactérias boas que compõem a nossa flora normal. Tanto fungicidas terminados em zol, como qualquer antibiótico e até mesmo os anticoncepcionais são muito maléficos a nossa saúde. Aconselho a todas buscarem alternativas mais saudáveis. No caso de cândida existem medicações menos invasivas como a nistatina, água filtrada com bicabornato( pesquisar dosagem correta) , óleo essencial de melaleuca(pesquisar dosagem), entre outros. Para coceira externa, chá de cravo, chá de camomila.
      Espero ter ajudado.
      Grande abraço!
      Gleice.

      Curtido por 1 pessoa

  2. Boa noite meninas.
    Gostaria de compartilhar com vcs minha história. Tive candidíase aos 18 anos de idade. Usei várias pomadas nada ajudou até que fiz cauterização no útero e resolveu. Aos 22 anos de idade tive candidíase de novo que se estendeu até meus 29 anos. Depois de tanto tempo encontrei a solução do meu problema. Comecei a usar sabonete neutro, o que ajudou bastante e tomar água com bicarbonato um copo logo que acordo, as mudanças foram inacreditáveis. Lavo minhas calcinhas com sabonete neutro, estou tomando chá de unha de gato e echinacea, comprei óleo de coco extra virgem, chia, linhaça. Não como mais doces, comecei a comer arroz integral. A noite como frutas. Existem sites que dizem que a dieta da candida pede para vc não comer nada de carboidrato e que frutas tem glicose. Mas pelo amor, precisamos de carbo, afinal são eles que nos dão energia. Depois de tudo isso faz uma semana que não tenho candidiase, tive relação sexual sem camisinha e candidiase não voltou, acredito que esteja curada. Estou compartilhando com vcs… quem sabe não conseguem achar a cura. Outra coisa cortei o leite não tomo mais pq diz que ele é um grande aliado da candida e tomo kefir que é a meteria prima para fazer o danone, fonte de lactobacilos e probióticos, fez regular meu intestino e antes das refeição tomo Kvass, pesquisa na net a receita. Fica a dica mulheres.

    Curtir

  3. Toda vez que tomo antibióticos, tenho candidíase. Já nem me preocupo tanto mais, pois sei que assim que parar com o tratamento, minha flora vaginal se recompõe. Mas é um saco sem tamanho 😦
    Por mais que eu e o meu parceiro saibamos que é algo relativamente normal, mexe com minha autoestima e segurança sexual.

    Mas obrigada de verdade pelo texto! É muito importante. Fico triste com o quanto a saúde (sexual principalmente) da mulher é negligenciada e cerceada por tabus e preconceitos.

    Beijos ❤

    Curtir

  4. Meninas, vou deixar a minha experiência pra vocês:

    Há mais ou menos 3 meses notei um corrimento estranho, às vezes branco, as vezes amareladinho. Fui a 3 médicas que me deram certeza de que o que eu tinha era Candidíase. Sem fazer exame algum (apenas observaram minha vagina), me receitaram diversos anti fúngicos (fluconazol, itraspor, nistatina…) e eu fazia o tratamento e nada curava. Até o dia que consultei pelo SUS e fiz um exame de coleta de secreção vaginal, e foi constatado que na verdade eu tinha Garnerella, uma bactéria, e tinha alguns episódios de candidíase porque a bactéria alterava o pH da minha vagina favorecendo a vida do fungo, e por isso nunca curava. Meu corrimento, apesar de ter um cheiro ruim, foi sempre tratado como candidíase e só depois que descobri a verdadeira causa tratei adequadamente com Metronidazol 400mg comprimido, um comprimido a cada 12 horas por 7 dias. E meu problema foi resolvido, o antibiótico fez efeito só no quinto dos sete dias de tratamento (até pensei que não iria curar), mas deu tudo certo!

    Curtir

  5. Eu tinha candidiase e fiquei curada apos parar de consumir leite. Existem varios fatores que podem causar a candidiase. O que causava a condidiase em mim era o consumo de leite.Graças a Deus estou curada, boa sorte para todos.

    Curtir

  6. Gente, sei que este poste é meio antigo mas preciso desabafar.. eu comecei a ter relações com meu namorado a 1 mês, toda a sexta feira ele vem aqui em casa e a gente faz umas 2 vezes por noite, mas depois da ultima vez, ja no domingo eu comecei a apresentar a coceira, e pior que no domingo tinha simulado entao eu fiquei varias horas de calça jeans justa. Quando eu cheguei em casa tava insuportavel.. entao eu pesquisei na internet os sintomas e descobri que era candidiase, mas eu fiquei com vergonha de alertar minha mãe, porque ela acha que eu sou virgem. Então só terça eu disse que talvez eu podia ter candidiase.. e ela pensou que fosse pela higiene também, me levou em uma emergencia e o medico passou o fluconazol.. eu tomei na terça de noite e hoje já é quarta mas ainda não passou a coceira, e os fungos superficiais eu tiro.. mas eles continuam crescendo.. será que o remedio nao ta funcionando ? eu preciso voltar logo a ir pro cursinho. Mas to com medo de usar calça justa por 7 horas

    Curtir

  7. Vivo esse inferno. E estou numa baita de uma crise. Já tomei fluco, e já usei varias pomadas, to te tendo um tratamento com limão, mas acho q não ta dando certo. Agr me digam, como viver uma vida com candidiase crônica, sem sexo, sem leite, sem carboidratos? As vzs digo ” vou deixar essa merda apodrecer e cair, não sei mais o que fazer”. Muito triste com isso, os médicos e a medicina infelizmente não estão preparados pra essa doença. Desolada.

    Curtir

o que você acha?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s